A deputada Betânia Almeida (PV) será a nova integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades na Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Ela substitui Soldado Sampaio (PC do B), que assumiu a Casa Civil do Governo de Roraima.

Ao Roraima em Tempo ela confirmou a informação e disse que “sempre defendeu as investigações” e estará mais próxima aos trabalhos. “Eu continuo com a população, trabalhando pelo povo”, resumiu.

Betânia chegou a ser escolhida quando a CPI foi montada no ano passado, mas decidiu retirar o nome após acordos entre deputados da base governista, que comporiam a comissão. Por causa da escolha direcionada do relator e do presidente, ela deixou a vaga para Lenir Rodrigues (Cidadania).

Na Casa Legislativa, a empresária sempre criticou a situação em que se encontra a Saúde Estadual. Mesmo não sendo membro da CPI, participou de diligências da comissão na Sesau, onde foram apreendidos documentos.

Também fazem parte da comissão o presidente Coronel Chagas (PRTB), vice-presidente Nilton do Sindpol (Patriota), relator Jorge Everton (MDB), e os demais membros Evangelista Siqueira (PT), Renato Silva (Republicanos), Lenir Rodrigues e, agora, Betânia.

CONTRATOS

Nas últimas semanas, a comissão se debruçou sobre 21 contratos da Saúde, que têm indícios de irregularidades. Todos foram firmados na pandemia de coronavírus. Entre eles está a compra de 30 respiradores por R$ 6,4 milhões. Essa aquisição também sustenta a denúncia de impeachment contra Antonio Denarium (sem partido).

Os parlamentares fizeram uma nova etapa de oitivas na semana passada e aguardam informações de órgãos e empresas, após quebra de sigilo de sete empresas e três pessoas ligadas à secretaria.

Em maio, o presidente da CPI, deputado Coronel Chagas (PRTB), disse que as investigações são amplas, com contratos que têm 4 ou 5 volumes e, por isso, a demora em entregar relatórios finais. “Analisar atos, se o valor não está superfaturado, demanda tempo”, justificou.